Tour no vulcão Etna – o que vivi.

Neste postal : eu tinha posto na minha cabeça que não iria ver nada além de praia nessas férias. Já deu pra notar que não conseguir levar à diante minha resolução, né ?!

etna

As crateras principais do vulcão à esquerda, o Etna. Foto: Camila Marquim.

Quando descobri que tinha umas mini férias de 2 dias e olhei o lugar mais barato possível de praia, cai em Catânia, uma cidade da Sicília do ladinho de Taormina e do vulcão Etna. Aí a duvida cruel começou : ver ou não o vulcão, eis a questão. Isso significava abrir mão por algumas horas (quiça 1 dia inteiro) da praia…

Falando em praia, veja aqui uma das praias de Taormina: Isola Bella.

Mas o meu argumento pra quebrar minha promessa era imbatível :

- Quando é que eu ia ter a oportunidade de estar num vulcão de novo ?

Eu sei lá ! E foi assim que peguei uma excursão de 1 dia inteiro no Etna…

Já viu meu postal falando sobre as tais excursões?! Pois veja aqui ó: pegar ou não excursão eis a questão.

Atenção : o passeio foi todo em inglês e com taaanto dado interessante só que técnico que periga eu ter esquecido/entendido errado alguma explicação e colocar uma bobagem aqui. Então se você entende de vulcão e ler uma besteira, me corrija. O objetivo é deixar vocês com vontade de explorar essa maravilha da natureza com seus próprios olhos e não de escrever um tratado cientifico sobre o tema, ok ?

As cavernas de lavas.

Éramos um grupo pequeno de 5 pessoas, todas jovens. Isso fez uma diferença danada porque tem uma parte que é meio pesada de subida e se o grupo fosse maior e tivesse pessoas mais velhas ou com problemas de locomoção certamente não seria a mesma coisa. Mais embaixo vou deixar os dados da empresa (mesmo sem ganhar nada a mais por isso, hein ?) porque achei eles ótimos! Mas vamos começar com o passeio em si.

etna

Dentro da caverna na pose que o guia mandou fazer: lanterna no rosto e cara de medo . Kakakak Foto: Mando um postal.

Então começamos pelas cavernas que se formam com uma erupção. Elas são o resultado de gazes e explosões e lava vulcânica. O que acontece é : a lava que esta mais próxima à superfície endurece, mas dentro dela ainda ha explosões de gaz que formam essas cavernas. E nós fomos conhecer uma delas. Lá dentro é bem mais friozinho que na superfície e e possível ver o “caminho” que os gazes faziam pra sair da caverna.

Rumo: cratera de um vulcão!

Nosso passeio seguiu com a próxima parada sendo uma cratera do vulcão. Pelo que entendi o Etna tem 4 crateras centrais às quais os turistas não tem acesso. Então mesmo se você pegar um tour que diz que te leva atééé a cratera, parece que isso não é possível: o máximo que você vai chegar é na estação de monitoramento do vulcão. Que já é bem alto, por sinal. Mas nosso guia explicou que não dá pra ver a cratera lá de cima.

etna

Montanha de lava acima e os traços da destruição. Foto: Camila Marquim

Então nós fomos até umas crateras mais recentes. Se você vai pelo lado norte do vulcão, vai poder ver esse cenário das fotos. Toda essa terra bem preta é fruto de uma erupção em 2002 que devastou tudo que viu pela frente, incluindo um resort e estação de esqui que havia na região. Houve uma erupção e ela criou uma fissura num ponto mais baixo do vulcão. Dessa fissura saiu a lava que hoje é essa terra preta.

Tinha um fotógrafo no meio do caminho, no meio do caminho tinha uma fotógrafo…

etna

na casinha mais à esquerda fica uma lojinha de um fotógrafo apaixonado pelo Etna. Foto: Camila Marquim.

E o mais legal é que fomos numa lojinha de souvenirs da qual o dono é um renomado fotógrafo. Dario (que já ganhou muitos prêmios) adora tirar fotos do Etna e nos conta com uma paixão cada clique que ele fez ao longo desses anos do vulcão. É de arrepiar: tanto as fotos quanto os vídeos e os relatos dele foram o ponto alto da excursão pra mim. Escutar ele falando como ele faz pra tirar as fotos, que sua lojinha também foi “engolida” pela lava em 2002, ver suas fotos… Só isso valeu a viagem!

Dario é um apaixonado pelo vulcão e dá pra perceber isso quando ele vai contando suas histórias.

Um mundo de lava

Então, continuamos subindo e subindo e subindo… Até chegar à um conjunto de 3 crateras de onde saiam os gazes tóxicos. Elas são enormes e foram círculos perfeitos. E lá de cima dá pra ter uma noção da força da natureza: é possível ver um caminho de lava descendo o vale. E olha eu aqui: esse pingo de gente na foto junto de uma dessas crateras:

etna

Quem me achar ganha um doce! Foto: Mando um Postal.

Pra fechar com chave de ouro: vinho, pasta e um (quase) banho de rio.

A vista lá de cima é incrível, gente! A subida é bem cansativa, mas vale todo o esforço! E depois de subir tudo aquilo, fomos almoçar numa vinícola que produz vinhos nesse solo vulcânico da região. O proprietário é quem nos serve à mesa e comi até não poder mais.

etna

Pasta ao molho de tomate, azeitonas (cultivadas nesse solo vulcânico) e ricota. De comer rezando, gente! Foto: Camila Marquim

Depois de repor as energias, a parte final do passeio: ir ver umas formações rochosas de lava junto à um rio. Qual o interesse, Camila? O legal é que essas pedra ao longo do rio tem uma forma bem diferente e quando junta com a cor da água e umas florzinhas rosinhas, dá essa belezura aqui ó:

etna

Olha essa água, olha essa pedra, olha isso tudo! Foto: Mando um Postal.

E assim me despedi desse pedacinho de paraíso.

etna

A água era muito fria, então só molhei os pézinhos. Foto: Camila Marquim

Se você gostou do tour e quer contratar: Etna People.

Atenção: esse não é um post patrocinado, ou seja, o Mando um Postal não recebeu dinheiro ou qualquer outra vantagem pra indicar bem ou mal, mesmo para citar o nome da empresa. Se estou fazendo é porque achei o serviço bom mesmo. ;)

 

Você pode gostar...

4 Resultados

  1. Talita disse:

    Olá, também moro na França. Qual site você pesquisa suas passagens aéreas? Obrigada