Espelho, espelho meu…

O contexto

eu diretamente de Paris com uma amiga brasileira do outro lado do oceano, escolhendo um presente pra outra amiga brasileira. E toda a indecisão do quê escolher pra presentear… Cada uma com uma idéia diferente. Bem, no fim das contas, a gente só queria achar um presente que agradasse à pessoa (pouco importava o meu gosto ou o da minha dupla). Mas aí comecei a me dar conta: enquanto eu pensava em algo que desse um bem-estar ao outro, minha dupla tinha um raciocínio mais “o que vai deixar o outro belo.”

Será que era só a cabeça da minha dupla-de-comprar-presente ou da pessoa que receberia o presente que é assim? Não sei, não… Isso me lembra minha teoria sobre como muita coisa no Brasil é muito centrada na beleza externa. Vamos à ela…

Quero massagem “só massagem”!

Pesquisei horas à fio meu amigo Google por uma massagem em Recife e as opções que saiam eram:

  • Massagem relaxante = garotas de programa
  • Massagem com drenagem linfática, massagem com hidrólise, massagem com dermo-pigmentação… Joguei nomes que vieram à minha mente agora (nunca pisei num centro estético nem no Brasil e nem na França). Mas não tinha massagem só massagem. Ou era algo sexual, ou era tratamento estético.

Parece que massagem só massagem não dá dinheiro, não é negócio em Recife. Ou pelo menos não é anunciado no Google. Quando comecei a mudar os termos da pesquisa e colocar “spa” no meio, aí saiu mais algumas coisas. Mas ainda assim foi difícil encontrar algo.

Mulheres e a beleza: França versus Brasil.

Esses assuntos são super delicados porque a gente rotular as pessoas não me parece muito legal. Rotular todas as mulheres de uma nação, menos ainda! Mas o legal de avaliar as situações é você poder refletir sobre a forma como você pensa, que mecanismos você usa (sem nem perceber!) e como existem outras formas de se ver a vida, e a beleza e os cuidados estéticos. Os clichés que eu escuto dos 2 lados são:

Brasileiras acham que francesas:

… podem ser chiques (mas nem todas são)

… podem usar roupas elegantes

… não se cuidam: cabelos desgrenhados, unhas por fazer, não tomam banho

Francesas acham que brasileiras:

… são muito maquiadas

… são “refeitas”, pra usar a expressão francesa pra isso. Quer dizer: fazem muitos procedimentos cirúrgicos, tipo plásticas.

É interessante notar como cada “lado” observa as diferenças. Se pras brasileiras as francesas podem ser  “desleixadas” no que diz respeito ao corpo delas, as francesas acham justamente o contrário das brasileiras, que ela são muito “artificiais” com toda sua maquiagem e cuidados estéticos.

Depois de 2 anos do lado de cá, quando saio na rua dificilmente erro quando bato o olho numa mulher e penso: é uma brasileira. A forma de se vestir, a maquiagem, os cabelos, as unhas, tudo tem um certo padrão. E quem é brasileira e mora no Brasil dificilmente vai perceber isso, mas tem algo que realmente é bem característico e que eu não sei explicar o que é. Mas o combo: unhas feitas, cabelos com luzes, geralmente perfeitamente escovados, maquiagem com pó compacto, roupas que se coordenam bem entre si são alguns indícios de que ali está uma brasileira. E quando elas abrem a boca e falam português: voilá! Uma brésilienne!

Eu observo uma tendência natural na maioria de nós brasileiras à sermos super ligadas em estética (não necessariamente em saúde) e o bem-estar vem em segundo plano (ou mesmo pouco importa). Muitas vezes os 2 são associados como se fossem a mesma coisa (e não são). Intervenções no corpo também me parecem ser mais facilmente aceitas no Brasil que por aqui. E eu não estou falando de topar fazer uma lipo ou silicone, gente! Pigmentação de sobrancelhas e clareamento de dentes, por exemplo, são um sinônimo de cuidado com o corpo e vaidade no Brasil. Sem entrar no mérito do custo desses serviços na França, aqui me parece que a vaidade está em outras coisas e numa beleza mais “natural”. Aqui as francesas estão com as unhas lascadas, cabelos desgrenhados, mas fazem sessões de relaxamento e podem estar com uma peça de grife que não sai de moda nunca.

Tem alguém errado na estória?! Não, são simplesmente duas formas diferentes de ver o mesmo fato. Cada “lado” interpreta de um jeito.

E no meio disso tudo, estão as brasileiras que moram aqui. No começo é aquela loucura: manicure que tira cutícula, uma fulana que faz sobrancelha do jeito que a gente gosta, uma cabeleireira que puxa mechas fininhas. Com o tempo algumas vão mudando a forma de cortar o cabelo, de se vestir e se “afrancesar” um pouco. A gente vai mudando de alguma forma sem nem se dar conta…

Um bom exemplo dessas formas diferentes de observar os cuidados com o corpo é: eu mesma!

A Barbie Brasileira

IMG_4811

Zoeira never ends: as amigas do trabalho tirando foto enquanto retoco o batom depois do almoço.

Se você fizer uma entrevista com minha mãe e perguntar sobre como eu me visto e me cuido você ouvirá um sonoro: “Camila?! Camila é muito desleixada, a sorte é que tem cabelo bom. Mas anda com cada mulambo, aquela menina, e…

Se você fizer a mesma enquete com minhas colegas de trabalho francesas, a resposta será beeeem diferente. Lá eu sou a Barbie Brasileira, esse é meu apelido. E sabem por que? Porque eu retoco batom depois do almoço! E porque uso muitos saltos, e porque estou sempre de maquiagem, e porque troco de brinco todo dia. Eu acho muita graça porque na minha cabeça (e na da minha mãe, e da minha irmã e de um punhado de pessoas no Brasil), eu não sou a pessoa mais ligadas nessas coisas, mas aparentemente pros padrões franceses eu sou beeem patricinha, uma verdadeira Barbie!

No fim das contas tudo é bem relativo, meus amigos. Inclusive os padrões de beleza: tudo é bem relativo e cultural. E isso tudo sem falar dos diferentes olhares sobre o tipo ideal de corpo feminino nas duas culturas! Mas isso é assunto pra outro postal…

Você pode gostar...

4 Resultados

  1. Cristiane disse:

    Bonjour Camila! Realmente observei uma simplicidade na mulher francesa que eu não esperava ! Achei que elas eram super chiquetosas,mas me surpreenderam e eu gostei ! Quando percebi isso pude me soltar mais, relaxar mesmo, tanto que andei a Champs Elisé-Elysées de shorts e camiseta e lógico dei muita risada disso…Nós brasileiras, realmente nos preocupamos muito com a parte estética (roupas, sapatos, maquiagem, bolsas..) e nos esquecemos de ser nós mesmas, mulheres, mãe, esposas.
    Beijos p/ vc p/ as Francesas e p/ Paris maravilhosaaaaa…

    • camila disse:

      Cristiane,

      Interessante que dia desses vi um video de uma amiga blogueira brasileira que mora nos EUA e ela comentou isso tambem: como a brasileira esta suuuper preocupada com a imagem dela. E como as norte-americanas nao estao nem ai pra isso e as francesas tambem nao.
      Acho que é importante se cuidar, mas eu estou numa fase da vida (ou talvez seja uma mudança definitiva) em que curto muito ter uma vida mais simples e com menos rituais diarios. Entao uso menos maquiagem, saio com roupas sem passar e olha, me faz muito bem! Claro que viver numa sociedade onde isso nao tem tanta importancia ajuda e muito.

      Um cheiro pra tu e obrigada pelo comentario, sempre bom ouvir o que as mulheres acham! ;)

  2. Sandra Marquim disse:

    Adorei sua abordagem, fiquei refletindo e realmente tudo é muito relativo. Beijos