10 coisas que eu descobri morando na França.

Você pode gostar...

69 Resultados

  1. FELIPE DOS SANTOS disse:

    bonjour camila, comment ça va?

    Vou viajar para Meaux no dia 16/11/2016 e ficarei por um periodo de 90 dias para estudar o frances. Com os altos preços para compra dos Euros, ando pesquisando alguma forma para economizar. Nos ultimos dias encontrei algumas dicas sobre a compra das moedas diretamente em paris pois algumas casas de cambio ofereciam valores melhores que aqui no BR. Voce tem alguma dica de como e onde comprar euro levando moeda(real) em especie ? caso haja essa possibilidade, como eu comprovo que estou levando dinheiro suficiente para a estadia, ja que o consulado pede u minimo de 35euros por dia.

    Cordialement,

    Felipe dos santos

    • camila disse:

      Oi, Felipe.

      Desculpa a demora, acho que você ja chegou em Meaux (que alias é lindinha), eu não sei sobre câmbio. Acho que se você mostrar extrato da sua conta no Brasil comprova sim que você tem recursos prq estadia.

      Abraços e boa estadia.

  2. Marcelle disse:

    Oi Camila, um sem papéis pode casar com um português na França?? Como pode se legalizar um sem papéis com entrada na frança a mais de 6 meses??? Merci

  3. Lucas disse:

    Olá! Eu pretendo ir morar na França no futuro, mas tenho receio de não ser muito bem recebido pelos franceses que lá vivem, pois dizem que a França é um país muito xenófobo. Isso é verdade ? É que devido a todos esses acontecimentos recentes, como o atentado que ocorreu em 2015, eu fico com um pouco de medo da forma que eles tendem a receber os estrangeiros.

    • camila disse:

      Oi Lucas,

      A França tem problemas com alguns paises. Ate hoje, o que eu percebo eh que com os brasileiros nao ha problemas. Ha outras nacionalidades que eles sao menos receptivos. 😉

  4. julinscruz disse:

    Adorei o texto! Você tem um ótimo humor e leveza para encarar a sua nova vida ai em Paris! Me identifiquei muito com o texto e com a forma que você descreveu o cotidiano francês 🙂 Parabéns!! Vou jaja ler a sua atulização deste post! Um grande beijo e boa sorte, Ju!

    • camila disse:

      Ju,

      voce nao imagina como fico feliz com esses recadinhos. Muito obrigada! Que bom que foi uma informaçao util ou interessante pra vc. Esse eh o objetivo!

      Abraçao e um excelente dia pra tu! 😉

  5. Sendy disse:

    Oi Camila, tudo bem?
    Eu sou casada e tenho dois filhos 3 e 4 anos. Estamos nos preparando para em 2anos ir morar na França, meu marido fala francês e temos alguns amigos da França, que vem para o Brasil e se hospedam em casa. Eu nunca fui a França… Como foi a sua experiência para arrumar emprego?
    Quais são as dificuldades ai na França? A socialização é boa? Sabe me dizer se para eu ir as crianças já precisam estar matriculadas? Como foi para morar ai, alugou casa mobiliada ou teve que comprar a mobilia? Desculpe a chuva de perguntas… Estou com um pouco de dificuldades de encontrar algumas respostas…rsrs… e com 2 crianças não dá para ficar na dúvida … bjos… ótimo blog!

  6. Thaislla disse:

    Coucou Camila, min chamo Thaislla cair por acaso no seu Blog e gostei muito. Atualmete moro na Guiana-francesa mais em Junho eu e meu marido estaremos indo para Bordeaux. Bisous ma belle et bonne continuation pour le blog.

  7. sarah friaes disse:

    oi Camila meu nome e Sarah tenho 9 anos quero morar na França com minha mae , minha mae quer saber se precisa casar com um frances para ter alguma nacionalidade se a resposta for sim quais documentos ela precisa levar para casar?

    • camila disse:

      Oi, Sarah!!!

      Você tem 9 anos ou 19 anos?!?! Nossa, se for 9 é minha leitora mais nova! Adorei!!!
      Existem muitas respostas pra essa pergunta da sua mãe. O melhor é ela procurar a embaixada pra explicar a situação dela e saber a resposta exata. Espero que você consiga vir morar na França com sua mãe, viu?! Um beijoooo!

  8. Emylly Begot disse:

    Olá Camila, eu estava procurando sobre a França e me deparei com seu blog, gostei muito por sinal. ♥

    Sou descendente de Francês e estamos a 5 gerações no Brasil, sou Amazônida de Belém do Pará, estou aprendendo o básico de Francês e quero, preciso saber se aí tem um local onde capacitam os Brasileiros para algum curso, e se sim, quais são? Eu quero morar em Valence com alguns parentes que temos lá, mas falo pouco com eles por conta do idioma, como sugere que eu faça? Não conheço eles muito bem porque não entendo muito, sugere que eu meta minha cara e vá? Eu sou taurina, cheia de medos e traumas de ser um fracasso, mas me acostumei no meio dessa cultura, de limpeza, de não estragar nada, amo o frio (apesar daqui ser um forno kk), então, como eu faço? Devo me focar no idioma e ir? Eu sempre sonhei em ir a França e continuar a minha geração por lá.

  9. Shirlei S Aguiar disse:

    Oi Camila, que delícia ler todos esses depoimentos! Estou seriamente pensando em ir morar na França, mas ainda não tenho clareza de como conseguiria fazer isso. Sou aposentada, artista plástica, tenho 63 anos e gostaria muito de morar na França, inclusive fazer outros cursos de arte por aí. No entanto, seriam cursos livres, portanto não teria visto de estudante. Você saberia me dizer se existe alguma lei específica sobre a permanência estrangeiros acima de 60 anos?
    Muitíssimo obrigada.
    Shirlei

    • camila disse:

      oi, Shirlei!

      Não sei te dizer se existe esse tipo de estatuto diferente pra quem tem mais de 60 anos. Mas procure se onfirmar com consulado e embaixada que deve haver algum caso no qual você se encaixa.

      Muita sorte nessa jornada e parabéns pela vontade de mudar!!
      Abraços!

  10. letanzini@hotmail.com disse:

    Ola Camila, adorei seu jeito simples de responder, vou ser breve para não encher você de perguntas kkk, sou cidadão Europeu, dia 22 de set de 2015 me mudo de vez para Paris. Estou falando o básico francês, vou viver na casa de dois Franceses, acha que travail está muito difícil? Não sou exigente, topo tudo no começo, é verdade que obrigação de pagarem o salário mínimo por aí? Beijos prazer!

  11. Francisco disse:

    Salut Camila ça va!!! recém chegado no teu blog, gostei bastante. Por onde anda no momento?

  12. augu disse:

    as escolas ainda est´~ao do jeito que eu falei ou essa rigidez acabou? comeu carne de cavalo,w eu comi e adorei lá. ah sou noerdestino também só que sagitário

  13. augu disse:

    oi camila, morei aí entre 1987 e 1988, ainda era um guri de 11 anos, voltei daí faltava alguns meses para completar 13, não sei se tem filhos ou se você ainda pe uma adolescente, mas eu lembro que realmente aí naquela e´poca na cidade que mnorei a média jpa era 12 mesmo, a idade que eu mnorei ficava a mais ou menos 15 km de paris, também me assustei, não com gatos nos restaurantes, mas sim com cachorros sentados á mesa, não são todos os franceses, mas muitos tratavam naquela e´poca os cachorroes melhor do que as crianças, seus próprios filhos, tinham alguns restaurantes que eram radicais, e era assim permitida a entrada de animais , proibida a de crianças.

    me lembro muito bem da escola, logo quando cheguei me colocaram numa escola de adaptação cvom mais 12 estrangeiros, detalhe 6 eram brasileiros kkkkkkkkkkk, só qiue eramos proibidos de falarmos em português, tínhamos que decoarar poesias quase todos os dias , ficávamos na escola das 08:20 até as 16:10, sendo que tínhamos três intervalos 10 ás 10:15, depois 11:30 ás 13:30, almoçava eu e meus irmãops no colégio mesmo eram dois turnos de almoço, pois quem não gostava de certa coisa tinha uma segunda opção segundo horário, pois o primeiro era das 11:30 atpe as 12:15 e o outro era das 12:30 ás 13: 15, comíamos carne de cavalo ou melhor levian de chevale, acho que eras assim que falava, se arrependomento matasse, quando voltei ao brasil queria continuar aprendendo inglês fui a aliance francaise, mas como não tinha 14 anos, naquela época era proibio nas alianas francesas menor de 14 anos fazer teste de nivelamento, me colocaram no nível 1, e eu já sabendo falar francês, será que continuei no curso? não estava desmotivado, e criançla adolescente nção percebe algumas burradas, depois minha mae contrataou uma professor francês particular, mas náo quis dar continuidade, achava aquilo chato pois achava que já sabia muito, resultado não pratiquei, hoje não sei falar francês, mas entendo, fico me perguntando, serpá que morei na frança mesmo ou foi só um sonhow pois não falo francês mas entemndo, fico como deixei isso se perder em minha vida, por causa de capricho?

    A ESCOLA DEPOIS que achava a gente preparado, nos liberava para salas nomrias, conjugação de vernos em francês pe durto, e as escolas eram rigidia, pelo menos naquela e´poca, eu fiz lá a terceira série que hoje no brasil é quarto ano, sim estava atrasado primeiro porqiue tinha 11 anos ao chegar lá em janeiro de 1987 , popis no meu pré mandaram eu ir para fono e mandaram eu repetir de ano, aqui eu tinha passado para a quarya série, hoje quinto ano no brasil, mas ao chegar l´pa falaram que eu teria que repetir, quase todos estrangeiros tinham que repetir de ano. pois chegmos lá no meio do ano escolar, eles diziam que tínhamos que repetir de ano. e repetimos,
    os professores eram rígidos, a maioria era legal e rígido, mas tinha uns que eram maus, não me esqueço de nas filas e nas horas da espera de almoço e etc era demais tinha castigos para quem desobedecesse as filas etc, era ir para sala do direitor, ou para quatro cadeiras que tinham ao lado fazer deveres ligados ao que estávamos aprendendo em alguma matéria e eram elaboradas pelo diretor e perdíamos parte do recreio com isso, comíamos e não podíamos aproveitar o recreio, spó de quem desobedecia, só uma vez me atrevi a desobedecer esse diretor na hora da fila resultado 1 hora com ele durante a hora do almoço depois de almoçar fazendo lição , e ele vinha corrigir, se errásssemos mais do que um limite,m resultado no dia seguinte terioamos que ficar com ele também graças a deus não precisei mais.

    mas o direitor apesar disso tudo era atpe bem legal com a gente enquanto fazíamos as liçõpes na frente deles,

    agora me lemnbro do exagero de uma professora que tínhamos, pois era uma professora só para todas as matérias aío certo dia ela com nosso livro didatdico de matemática, ela ensinou um assunto problemas e passou numa sexta feira para casa problemas, detalhe ela nunca tinha passado dever para final de semana, então muita gente achou estranho pois ela deu 15 problemas para fazermos, um francê foi reclamar da quantidace, ela ah é então agora vão ser 25 problemas. daí eu mas maitress(mestra) sim chamavmos os professores de mestre(maitre) e maitress) ou sra fulana ´, falei não pe justo é muita coisa, daí ela vai ser muito agora já que você está reclamando, fixo em 50 problemas e foi passando 35 do livro e 15 de uma lista e para entregar ao chegar na escola para ela mesma o dever de casa, quem não tivesse feito, tinha três escolhas, perder 1 ponto na próxima prova, ficar com ela para melhorar o estudo na sala de aula em tdos os recreios durante 1 semana, ou ficar os recreios fazendo lição com o diretor.

    essa professora era rígida mas essa vez foi a única que ela passou devber de final de semana, e eu nunca mais reclamei de dever de casa, reclamei desse porque achei injusto pois os problemas não eram pequenos, eram todos enormes.

    eu morabva em cretei perto de paris.

    place jean gireudoux.

    mas fiz amigos e por isso tenho saudades da frança, só não tenho saúdes de uma guerrinha que existia entre praças lá.

    o que eu adoraba era as passarelas, quantas vezes fui de toca para escola com meusirmãos para a orleha não congelar etc, sim mesmo novos e meu irmão mais novo com 6 anos íamos sozinhos e volytamos sozinhos da escola, pois em cretei é cheio de passarelas você não atravessava praticamente rua nenhuma, só uma para chegar a escola já perto da escola.

    e umas festinhas de rua que escola promovia era massa.

    você trabalha ou estuda aí camila, mesmo nome de minha filha você hehhe.

  14. Olá, Camila… Gostei muito de ler seu texto, eu estou cursando meu ultimo ano do ensino médio e quero muito mesmo ir para França ( Paris )… amo cozinhar quero fazer gastronomia! Pretendo estudar em uma escola de gastronomia e trabalhar em algum restaurante. Tenho duvidas, varias rs tipo quanto de dinheiro tenho que ter para ir pra França, como é conviver com os franceses todos os dias, Adorei seu relato Bjoss Sucesso ai 🙂

  15. josi cinquini disse:

    Camila boa tarde.
    sou empresária no ramo de transporte executivo(há mais de 10 anos no mercado http://www.getcars.com.br) e gostaria de vender tudo e mudar e se arriscar em uma nova vida. O país que sempre sonhei foi França. O que vc acha? como esta o comércio, um brasileiro com um pouco de $ no bolso teria alguma chance de montar algum negocio aí na França?
    bejus e obrigada

  16. eliezer disse:

    Boa noite Camila, meu nome é léo estou pensando em morar em Paris sou profissional de elétrica queria saber de vc como é este tipo de seviços ai em termo de procura e preços. Desde ja agradeço atenção.
    Obrigado!!!

    Rio/rj.

    • camila disse:

      Eliezer,

      Não sei te informar sobre a tua área, desculpe. A única coisa que sei é que esse tipo de serviço é bastante caro aqui. Kakakaka

      Abraços.

  17. mmarcia_@hotmail.co, disse:

    Olá Camila, Tudo bem?
    Achei muito interessante tudo o que você e as pessoas comentaram. Eu também estou nessa dúvida de ir ou não para a França. Sou libriana (afff…) e estou um pouco insegura quanto a esta decisão. Meu namorido é frances e, por motivos de trabalho, teve que voltar para a França. A ideia seria de nos casarmos e eu ir morar com ele. meu ponto é que hoje tenho um bom salário no Brasil, sou pos graduada falo ingles, espanhol e estou arranando um frances intermediario e não sei se quero trocar o que considero “qualidade de vida – acesso a serviços manuais, fazer unha, ter contato com a familia” por uma vida “fria”. Já me matriculei em uma boa faculdade na Frana para poder entrar na cultura do pais. Na sua opião, tendo uma boa formação no Brasil, um cargo considerável aqui mais experiencia de trabalhos em empresas multinacionais + o MBA frances, é possível conseguir emprego? Você conhece casos de brasoleiros que conseguiram bon empregos na França? E é verdade que os salários na França são menores que no Brasil?

    Obrigada,
    Marcia

    • camila disse:

      Oi, Márcia!

      Espero que ainda não seja muito tarde pra te responder. Olha só, creio que é possível sim conseguir emprego se você tiver qualificações e procurar falar a língua. Uma coisa à levar em conta é que os franceses dão muita importância à diplomas superiores. Então se você tiver bons diplomas na área que pretende atuar, creio que será possível.
      Os salários não sei dizer se são menores, mas a questão é que tem muitas coisas que você não paga os preços astronômicos do Brasil, como plano de saúde e escolas, por exemplo. Com relação aos serviços tipo cabelos, unhas, empregada doméstica, carro pra todo lugar, realmente é bem diferente do Brasil. Só que tudo tem de ser colocado dentro de um contexto social diferente do Brasil.

      A pergunta é saber se você vai se adaptar à esse contexto social. Não tem empregada doméstica, mas os produtos de limpeza fazem milagres aqui, as pessoas funcionam diferente, a forma de se vestir, comer e sujar é diferente, só pra te citar alguns exemplos. O que eu quero dizer é: será que você está de coração aberto pra se adaptar à essa forma de viver diferente? Porque se você estiver tudo isso vai ser fácil. É difícl explicar, mas meu sentimento à respeito de todas essas questões é: “eu estou disposto à mudar não só de país, mas talvez de hábitos, de forma de ver as coisas?” Se eu não estiver, eu vou sofrer porque vou querer viver uma vida que é difícl de viver nesse conxteto social. Se eu estiver disposto à mudar, vai ser fácil porque esse mesmo contexto social me ajuda. E isso passa por coisas bem simples tipo: minhas colegas francesas não vão ao salão toda semana, então meu nível de exigência com as unhas pode ser amenizado, ou eu faço em casa, como boa parte delas faz. Enfim, são questões pra você pensar.

      Eu sei o zilhão de perguntas que se passa na cabeça da gente antes de uma decisão dessas, mas tenta se escutar, você tem a resposta pra todas as perguntas que realmente importam. Boa sorte! Abraços!

  18. Amanda disse:

    Oi Camila.

    Já fiz estágio de 8 meses na França. Eu adoro esse país. Arranjei um namorado e quero muito voltar, só que ele é bem novo e francês não pensa como brasileiro em casar de primeira. Portanto fico nessa enrascada, ele esta tentando me arranjar trabalho para que eu possa ir e ficar legalmente. Já falo o francês e entendo bem. Tive que voltar do estágio porque o tempo do visto acabou. Gostaria de saber se indica algo, sabe de algo para que eu possa voltar e ficar de vez ? Você casou ai?? algumas dicas. obrigada abraço

    • camila disse:

      Oi, Amanda.

      Eu so conheço procedimentos de visto de estudante. Se você conseguir justificativa como estudante, é super tranquilo. E nao, nao casei aqui nao. 😉

      Abraços.

  19. Helio Bello. disse:

    Olá Camila, tudo bem?

    Sou nordestino e libriano também, por isso acho que me identifiquei tanto com você! 🙂

    Meu nome é Helio, moro em setúbal que fica próximo a boa viagem. Sabe onde que é? Então, tenho 23 anos recém completados comecei duas faculdades e não terminei nenhuma, na verdade eu não sei o que eu queria fazer e acabei optando por ADM ( o famoso curso de quem não sabe o que quer ) rsrs.. Amo muito o Brasil (Obs. as farras, amigos, passeios, minhas cachaças, meus luxos bancados pelos meus pais. kkk..) mas ando muito desanimado com a questão de emprego. Aqui em casa mesmo vejo meu irmão que se formou em publicidade fez pós, vários cursos e tal pra trabalhar em uma empresa e ganhar R$ 2.800,00 e eu não quero isso pra mim, na verdade sempre tive esse pensamento/vontade de ir morar fora, me arriscar, meter a cara, pois sempre achei o Brasil muito “província para mim” sempre achei isso aqui muito pouco para a minha vida.

    Tenho um grande amigo que está morando em Paris fazem dois anos, e a tempos venho amadurecendo a ideia de ir morar lá com ele. Hoje pedi para ele me ligar e passei horas com ele no telefone perguntando como que era a vida de um brasileiro em Paris e tirando todas as minhas dúvidas, e ele super me apoiou para eu ir. E hoje cheguei na conclusão que quero e vou morar ai. No começo ele disse que me apoia em tudo o que eu precisar, que poderei ficar na casa dele o tempo que quiser e que até mesmo arruma emprego pra mim, claro que vai ser empregos em restaurantes e tal, como é de costume para todos os brasileiros que vão para outro país. Não vou mentir que estou com um pouco de medo, pois não sei falar nada em francês (mas quando ele foi ele também não sabia mas mesmo assim sobreviveu tanto é que está até hoje)

    Tenho descendência portuguesa e posso tirar minha dupla nacionalidade. Gostaria que você me ajudasse em relação a isso, se da pra eu me virar por ai sem saber o idioma? será que com a convivência ai eu consigo pegar pegar rápido, pelo menos a fala e a esculta? se você arriscaria fazer o que eu estou fazendo? se eu tirando a dupla nacionalidade tem como eu ficar ai legalmente? As pessoas que estão ilegais tem muitas broncas? Enfim, o que você puder falar para me ajudar será ótimo, até mesmo as suas experiências.

    Porque nós librianos somos assim heim? Tão cheio de dúvidas e indecisões e complicados? hahahah..

    Siiiiimm.. e tu és de onde aqui?

    Desde já te agradeço.

    Xero pra tu e boa sorte!

    • camila disse:

      Olá, Helio-libriano!

      Menino, tu me escreveu uma carta! Kakakakaka Vou tentar responder por partes. Primeiro as mais fáceis:

      – Sou da Boa Vista (digo: morava na Boa Vista e sempre me perdia nas ruas de BV e setúbal) 😛

      – Você não me perguntou sobre isso, mas eu sou inxirida me sinto na obrigação de colocar a questão pra você refletir e tirar suas conclusões:
      A França é diferente dos EUA. Fazer vida aqui não é tão simples, na minha humilde opinião. Então, assim: se tua motivação principal for a questão de vida profissional e ganhar grana eu te diria pra não vir à França (a não ser que você fosse artista, pintor, músico com uma arte que não fosse valorizada no Brasil, porque aqui todas essas áreas costumam ser mais valorizadas). Aqui você vai ter de começar tudo do zero (aí você já tem um diploma ou terá em algum tempo). Outra: apesar de se ganhar em euro se gasta em euro também. E as pessoas não conseguem ganhar rios de dinheiro aqui. O que acontece é que elas não ganham taaanto, mas elas tem muitas coisas “de graça” ou à um custo baixo, então é possível ter uma boa qualidade de vida mesmo não ganhando tanto. Enfim, essa é uma idéia pra tu refletir aí sobre as motivações da sua vinda e não se decepcionar depois. Se você vier por outros motivos, creio que a chance de “quebrar a cara” é menor.
      – A língua. Grande problema. Aqui eu explico melhor o porquê: http://mandoumpostal.com.br/2014/09/morar-na-franca-as-duvidas-mais-frequentes-de-quem-quer-viver-na-terra-dos-queijos-e-vinhos/
      – Não recomendo vir e ficar ilegal. Tem um monte de gente que diz que “não tem bronca”. Eu não troco meu sono tranquilo por nada nesse mundo, por isso não recomendo. Só se realmente tivesse passando fome no Brasil, o país estivesse em guerra, e olhe lá!

      E a pergunta mais difícil: se eu arriscaria fazer o que você está fazendo. Difícil te responder com base apenas nessas informações que você me deu. Mas, levando em conta apenas o que você escreveu: não viria pra ficar ilegal. Verifica as formas, cara. Tem várias! Você pode tentar uma universidade francesa, bolsas de estudo. A França é um país aberto aos brasileiros e você pode ter vários benefícios estando legal aqui.

      Espero ter te ajudado na tua caminhada futura. Ah, e medo, dúvidas a gente sempre tem (principalmente os librianos). O importante é ser sincero consigo e com os objetivos e sonhos que a gente tem pra gente e lutar (se cercar de cuidados, planejar ao máximo e com cautela) por eles. Mesmo com medo! 😉

  20. Gustavo disse:

    Bonjour Camila, ça va?
    Meu nome é Gustavo e sou do ABC (grande São Paulo). Tenho 18 anos e terminarei o ensino médio no próximo mês.
    Estou estudando francês há 3 semanas e já consigo ler 75% das palavras haha. Só que na hora de falar eu preciso ficar pensando para lembrar da palavra, etc (rsrsrs). Sem contar que sou péssimo na escuta (ainda).
    Meu inglês é excelente. Consigo entender tudo em espanhol. Pretendo ir para a França no final do ano e estudar o idioma intensivamente no país. Alías, felizmente já tenho alguns amigos por aí, falo com eles diariamente pela internet (somente em francês).
    Gostaria de entrar para uma universidade depois de chegar ao nível avançado na língua. E com minha disposição, ficando uns 3/4 meses aí, acho que conseguirei esta meta.
    Você sabe se eu preciso passar em algum vestibular (como no Brasil) para ingressar numa faculdade?
    Au revoir 🙂

    • camila disse:

      Gustavo,

      Tua estória me chamou atneção porque parece um pouco com a minha: cheguei aqui tendo feito uns cursos online bem básicos e com meu inglês (que é bom tb). Fiz 7 meses de curso de francês intensivo (leia-se 20 horas por semana). Em setembro começei a faculdade.
      Vou te contar, sem querer desmerecer o seu potencial e sem diminuir sua capacidade de aprendizado: é muuuito difícil!

      E olha que vos fala uma moça que estudou 7 meses intensivos. Está sendo complicado. Mas enfim, tua dúvida não é sobre isso…

      Sim, existem mecanismos de entrada, que não são iguais ao vestibular. O ano universitário começa em setembro então sua candidatura tem de ser lá por março (falando bem geral, porque tem instituições que fazem processo seletivo até em agosto). A diferença é que aqui não tem prova de vestibular, mas (à depender da instituição) tem prova de cultura geral, entrevista, testes de idiomas, etc e tal… Aí vai depender da faculdade que você escolher. Mas esqueça essa ideia de uma prova de matemática, história… Geralmente não tem o mesmo formato que no Brasil.

      Posts que podem te ajudar:
      http://mandoumpostal.com.br/2014/09/morar-na-franca-as-duvidas-mais-frequentes-de-quem-quer-viver-na-terra-dos-queijos-e-vinhos/
      http://mandoumpostal.com.br/2014/08/aprender-idiomas-no-exterior-a-minha-experiencia-com-o-frances/

      Boa sorte e muito sucesso pra tu!

      • Gustavo disse:

        Boa tarde, Camila.

        Eu tinha lido que, para entrar numa faculdade Francêsa, você teria que passar pelos vestibulares Brasileiros primeiro. Então não é necessariamente bem assim?

        Eu tenho um local onde eu poderei ficar até me estabelecer que fica à 1h30 de Paris. Lá, eu conviverei com uma família Francêsa e eles me ajudarão no que for preciso de início (a começar pelo idioma).

        O que você faria no meu lugar? Vamos supor que eu vá em em Fevereiro (até lá o meu Francês já estará no nível intermediário. Espero!) e fique hospedado na casa da família Francêsa para me estabelecer e melhorar meu Francês (sem fazer curso). E caso tudo der certo, me inscrever em uma universidade até Agosto (o prazo limite de algumas faculdades, como você disse). Porém, dessa maneira, eu não terei visto de estudante, certo? Pois, Fevereiro-Agosto= 6 meses (sem visto, o limite é 3 meses e, pelo que sei, a pessoa é obrigada à voltar para o Brasil depois desse tempo). Ou seja, eu seria ‘obrigado’ a fazer um curso durante minha estadia para conseguir o visto de estudante?

        Muito obrigado mesmo. Abraço!

  21. Juliane disse:

    A França é um país racista?

  22. Ioneide disse:

    Ola querida,

    Tenho muita vontade de morar na França, quando vc foi o curso que vc estudou foi pela internet??
    Mais fico um pouco preocupada porque o emprego parece ser um pouco complicado pra achar…
    Mais não vou desistir, o que me ajuda e que tenho parentes que já moram la a 7 anos, e eles prometeram ajudar no quer for possível.
    Depois de quanto tempo morando França eu posso solicitar a legalização pra conseguir ficar legal no país?

    Bjus

    • camila disse:

      Olá, Ioneide.

      O meu curso era presencial. Fiz 6 meses de curso (20 horas por semana).
      Empregos sem falar francês são bastante complicados, mas isso varia muito: depende de qual emprego você quer, etc e tal.
      Eu não tenho informações sobre ficar ilegal e depois tentar legalizar. Não sei como isso funciona e, inclusive, não aconselho ninguém a vir sem estar legalizado.

      Abraços!

  23. Jacqueline disse:

    Olá Camila, estou indo à Paris agora dia 21 de outubro com meus pais e minhas duas filhas… preciso tanto de ajuda. Acontece que estamos indo com pouco dinheiro e o pessoal do turismo é muito caro… Caro mesmo!!! Ainda mais porque cobram por pessoa e estamos em 5… Como vc está morando aí a pouco tempo, vc poderia nos ajudar? Precisamos de ajuda do tipo onde alugar um carro mais barato, como conseguir comprar a passagem para Londres pela Eurostar mais em conta… Tá tudo muito caro e já gastei os tubos com a passagem de todos e a hospedagem… Help!

    • camila disse:

      Jacqueline,
      Não sei como alugar carro, nem valores. A dica que posso te dar é: não alugue carro. Claro que isso depende muito do seu roteiro, mas para andar em Paris o transporte público é excelente e vai baratear pra vocês. Passagens do Eurostar tem preços meio que tabelados, não crieo que você vai encontrar mais em conta. A possibilidade mais barata é: ir de avião (geralmente é amis barato que o trem) ou ir de ônibus (mas aí leva mais tempo).

      Espero que sua viagem seja linda! Beijão!

  24. Denise Bueno disse:

    Ameiiii, estou pesquisando pra onde minha filha irá quando completar 16 anos, pois minha mãe logo se aposenta e quero que vá junto com ela morar na Europa, gostei muito da matéria apesar de ver no Le Mound Diplomatic que a França está xenofóbica e fiquei pensando mais na Noruega e Suíça.
    Mais a França é mais viável economicamente e culturalmente falando, e agora com sua matéria fico mais franquila

    • camila disse:

      Oi, Denise!!!

      Entendo sua preocupação. Olha só, a gente escuta relatos, e com as eleições do parlamento europeu em que a França elegeu representantes da direita isso de alguma forma mostra uma tendência, que há uma onda xenofóbica voltando. Mas me parece ser algo muito leve, se realmente a tendência se confirmar. Creio que aqui o fator não é o ódio gratuito ao estrangeiro e sim: “meu país está (o presidente diz que “estava”, coisa do passado) em crise e então temos de nos proteger”. No Nordeste a gente resume com um ditado: “farinha pouca, meu angu primeiro.”

      E tem outra questão: eles não tem problemas com brasileiros. Os árabes, os norte-africanos e os judeus (não me pergunte o motivo de eles estarem na lista) são os que tem relações mais tensas com os franceses. Seja pelo fato de terem cultura muito diferente deles como pela questão numérica.

      Brasileiros não chegam aqui em grande número e nem querendo impor seus costumes (já que temos uma cultura parecida, de alguma forma). Geralmente esses 2 fatores levam os franceses à olharem torto pro estrangeiro. Se sua filha vem legalmente pra estudar, passar uma temporada, creio que ela será muito bem-vinda. Eu mesma não sinto nenhum tipo de sentimento negativo comigo nas minhas relações com eles pelo fato de eu ser estrangeira.

      Espero ter ajudado.
      Abraços!

  25. karla yanca disse:

    oi camila, sou brasileira e pretendo morar na frança mas antes preciso juntar dinheiro , queria saber como é o estilo de vida, se conseguir emprego pra estrangeiros é dificil, pretendo ir quando ter minar a faculdade de letras português- francês

    • camila disse:

      Karla, você me fez perguntas difíceis… Kakakakaakak

      O estilo de vida, como assim? Preciso que você seja mais específica. Posso dizer que Paris é uma cidade grande, com gente do mundo todo. Apesar de ser grande, ela tem um ritmo menos acelerado que outras metrópoles. Posso dizer que é uma cidade em que se anda de transporte público (que é excelente!) e que chega uma hora em que (quase) tudo para. Não é uma metrópole 24h por dia.

      Conseguir emprego depende muito do que você trabalha, se você topa empregos como garçonete, babá…

      Te adianto que o fato de falar francês pode te ajudar muito a conseguir emprego. Na verdade é essencial.

      Abraços.

  26. sonia disse:

    Bonjour, sou francesa e ja morrei 5 anos no pais de você!!Adorei muito!!!! Gostaria de saber como você consegui ficar aqui na França, chegou com passaporte e passagens de ida e volta menos de 3 meses o consegui um visto? Todas essas perguntas porque queria que meu namorado brasileiro vem morar aqui na França…Obrigada

    • camila disse:

      Coucou, Sonia! Ça va? Je voudrais t’écrire en français, mais ça va meilleur pour moi de t’expliquer en portugais. J’éspere que ça marche pour toi. 😉

      Meu visto é estudante de idiomas. E todo o processo foi até rapidinho mesmo porque eu já sabia o que fazer:
      – Campus France
      – Escola
      – Pré-entrevista
      – Pagamento
      – Agendamento da entrevista

      Claro que tem um monte de coisas que precisa providenciar, como comprovação de renda, escolha de escola, attestation d’hebergement…
      Mas diria pra você que a forma mais simples é justificando sua estadia por um curso de idiomas com duração superior à 3 meses.

      Au revoir!

  27. Adorei seu texto e meu sonho e ir para frança bjs me add no face se vc tiver igor torres de oliveira

  28. jaime disse:

    adorei o texto, sou seu fiel seguidor.
    abraço e sucesso.

  29. Carla disse:

    Estou amando seus postes,aliás sou apaixonada pela cultura francesa e meu sonho é ir pra frança 😀
    Gostei de tudo,só que comer com um gato na mesa,huuum… Não gostei da ideia ! Rs…
    Tudo de bom pra você e muito obrigado pelas observações ditas .

  30. Luísa disse:

    Oi Camila, como vai?

    Achei seu blog por acaso, eu ando pensando em estudar pós-graduação 1 ano em Paris e queria pedir algumas dicas… Eu tenho cidadania italiana e teria ajuda financeira dos pais, você aconselha a morar aonde? Digo, eu pensei naquele programa de alugar um quarto na casa de idosos. Como são os franceses? Eu falo apenas inglês, será que serei muito mal tratada até aprender a lingua? rs.. O curso que pretendo fazer é ministrado em inglês. Outra coisa, como está a crise aí? Será que depois que terminar o curso consigo emprego na área caso queira ficar? (sou estilista)… Acha que muda muito por ter a cidadania?

    Agradeço desde já, um beijo!

    • Lu-í-saaaa!

      Você me encheu de perguntas, mulher de Deus! kakakak Vamos por partes:

      – Não conheço esse programa de alugar quarto na casa de idosos, fiquei curiosa pra saber como funciona. Se você tiver um link do assunto eu iria adorar ler.

      – Os franceses são muuuito diferentes dos brasileiros. Morar com eles vai exigir uma boa dose de adaptação e flexibilidade sua. Na verdade todo mundo é diferente de todo mundo. Mas o que eu acho que pega mesmo é o fato de (não todos, mas uma boa parte) eles serem meio turrões e rígidos com as regras deles.

      – Eu sou que nem você: falo inglês e estudei francês sozinha por 4 meses no Brasil. Faz 1 mês e meio que cheguei e vou te contar: eles não fazem a menor questão de entender sua língua e não falam bem o inglês (mesmo boa parte dos que dizem falar). Não é birra deles com o inglês, é que eles não falam mesmo. Aí junta com o jeitinho pouco paciente deles e pronto: ou você fala francês ou fala! Mas nada que você vá morrer, é uma experiência.

      – O emprego é uma incógnita. As pessoas com as quais eu falo (que são estrangeiras) estão em busca de emprego e dizem que está um pouco difícil. A preferência é pelos franceses que estão num equivalente do seguro desemprego, depois vem a galera da UE e depois vem os outros. Se vc tem a cidadania pode facilitar, mas não garante nada.

      Espero ter ajudado.
      Beijão.

  31. Neide Almeida disse:

    Que bacana ler seu relato da vida parisiense. Esse hábito dos mercados já incorporei. Sempre acham estranho como quase todo dia estou com sacola de supermercado hahhaha .Bjos, Camila.

  32. Virlliam Chaves disse:

    Cunha…. Compartilho com vcs essas descobertas. Fiquei rindo ao ler esse post e me lembrando de mim mesma alguns anos atrás. A diferença do American way o do povo chic way é realmente essa q vc falou. Aqui o povo compra pra não acabar nunca, a maioria das minhas amigas ( eu tb) tem duas geladeiras em casa.

    • Cunha,

      As descobertas são das mais simples às mais complexas diariamente. É o período de novidades, que eu adoro! Mas não é fácil. Muito mico e estória pra contar.
      Agora essa das 2 geladeiras em casa eu não sabia! Adorei!!! Kakakakaka
      Beijão.

  1. 4 de abril de 2014

    […] dos Lençóis Maranhenses, tem os desabafos Ir às ruas por que mesmo?, tem as descobertas 10 coisas que descobri morando na França, tem as lembranças das primeiras viagens As viagens da nossa infância, tem a polêmica 3 motivos […]

  2. 26 de junho de 2014

    […] 10 coisas que eu descobri morando na França. […]

Fala aí

%d blogueiros gostam disto: